Projeto 2016 "Uma viagem ao mundo mágico e maravilhoso da leitura com recursos multimídias".

 


TV Escola: Carmenéa Viana.
Sala de Leitura: Iane Carvalho.
Biblioteca: Lúcia Helena Lopes.

Laboratório de Informática na Educação: Nanci Castelo.




                        
 GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
ESCOLA ESTADUAL REINALDO MAURICIO GOLBERT DAMASCENO
AMBIENTES MULTIMÍDIAS









PROJETO: UMA VIAGEM AO MUNDO MÁGICO E MARAVILHOSO DA LEITURA COM RECURSOS MULTIMÍDIAS









MACAPÁ
2016






Nome da Escola
Escola Estadual Maurício Golbert Damasceno
Endereço
Avenida: Treze de Setembro Nº.
0297 Bairros: Novo Buritizal, CEP: 68900-230
Código da Escola
16002156
Ato de Criação
Portaria Nº. 0409/1988 – SEEC
Autorização de Funcionamento
Portaria Nº. 295/2006 – SEED
Ato de Reconhecimento
Portaria Nº. 035/2001 – CEE-AP Resolução 103/2000 CEE
E-mail
Blog
Dependência Administrativa
Estadual
Unidade da Federação
Amapá
Município
Macapá
Diretor
Antônio de Lima Cordovil Júnior
Diretora Adjunta
Cláudia Simone
Secretária Escolar
Lucidéia Aragão Queiroz
Coordenadora pedagógica
Michelly Sidônio Silva

COORDENADORA DOS AMBIENTES: Nanci Castelo da Silva
RESPONSÁVÉIS PELA EXECUÇÃO DE CADA AMBIENTE
·         BIBLIOTECA: Lúcia Helena Ataíde Soares Lopes
·         LIED: Nanci Castelo da Silva
·         SALA DE LEITURA: Iane Augusta Carvalho da Conceição
·         TV-ESCOLA: Carmenéa Viana Rodrigues       
PÚBLICO ALVO: 4º ao 9º
PERÍDO DE EXECUÇÃO: ano letivo de 2016           
SÁBADOS LETIVOS: Planejamento com todos os ambientes (manhã, tarde e noite)





SUMÁRIO

1.    Apresentação.................................................................................................06

2.    Justificativa................................................................................................... 07
3.    Fundamentação Teórica................................................................... 07
4.    Objetivos
4.1  Geral............................................................................................. 11
4.2  Específicos.................................................................................. 11

5.    Metodologia.................................................................................................. 12
6.    Instrumentos Pedagógicos..........................................................................17
6.1. Tecnológicos
6.2.  Material
7.    Avaliação......................................................................................................  18
8.    Considerações finais.................................................................................... 18
9.    Cronograma de Atividades............................................................................19
9.1.       Cronograma I..............................................................................19
9.2.       Cronograma II.............................................................................20
9.3.       Cronograma III............................................................................22
9.4.       Cronograma IV............................................................................23
9.5.       Cronograma V.............................................................................25
9.6.       Cronograma VI............................................................................27
9.7.       Cronograma VII...........................................................................28
9.8.       Cronograma VIII..........................................................................29
9.9.       Cronograma IX............................................................................31
9.10.    Cronograma X.............................................................................32
9.11.    Cronograma XI............................................................................34
9.12.    Cronograma XII...........................................................................35
9.13.    Cronograma XIII - atividade complementar..............................37
10. Referências .................................................................................................... 38
11. Anexos
11.1.    Horário de Atendimento nos Ambientes Multimídia...............41
11.2.     Ficha de leitura do livro ‘O EXTRAORDINÁRIO’......................42
11.3.     Ficha de Leitura..........................................................................45
11.4.     Ficha do professor leitor............................................................47
11.5.     Cronograma do Professor leitor...............................................48
11.6.     Ficha de Vídeo........................................................................... 49
11.7.     Ficha de Atividades Diárias.......................................................51
11.8.     Ficha de agendamento de atividades.......................................52







Uma viagem ao mundo mágico e maravilhoso da leitura com recursos multimídias
[...] o livro é um objeto mágico, muito maior por dentro do que por fora. Por fora, ele tem a dimensão real, mas dentro dele cabe um castelo, uma floresta, uma cidade inteira... Um livro a gente pode levar para qualquer lugar. E com ele se leva tudo.
Tatiana Belinky


1     APRESENTAÇÃO
O projeto “Uma viagem ao mundo mágico e maravilhoso da leitura com recursos multimídias”, tem a pretensão de contribuir para a formação de alunos leitores, críticos, participativos e capazes de interagirem em sua realidade na condição de cidadãos conscientes de sua atuação na sociedade, tais características são entendidas como pré-condição do exercício pleno da cidadania. No entanto, nem todos os alunos conseguem concluir o ano letivo desenvolvendo uma leitura fluente e compreendendo aquilo que estão lendo, com segurança e autonomia.
Percebemos que a realidade atual vem afastando cada vez mais nossos alunos do ato de ler. Tecnologias como computadores, videogames e TV; o acesso restrito a leitura no núcleo familiar e a falta de incentivo têm ocasionado pouco interesse pela leitura; consequentemente percebem-se dificuldades marcantes no ambiente escolar: vocabulário parco, reduzido e informal; dificuldades de compreensão; poucas produções textuais significativas, erros ortográficos e conhecimentos restritos aos conteúdos escolares estudados.
Acredita-se que a implementação desse projeto venha favorecer o processo ensino-aprendizagem, haja vista que se propõe a colaborar com o estímulo a leitura no espaço escolar e familiar e, consequentemente melhorar o desempenho dos alunos na área de Língua Portuguesa e nas demais disciplinas, uma vez que a leitura está inserida em todo contexto educacional dos alunos.
Assim, espera-se que os recursos multimídias como: computadores, datashow e TV, que ora afastam os alunos do mundo da leitura, pois são usados sem fundamentação técnica, sejam usados como ferramentas pedagógicas e associadas a outras como livros e jogos, com os quais os alunos possam perceber a leitura como uma fonte prazerosa de entretenimento e de múltiplas informações, e que facilitam a compreensão do mundo e dos conteúdos estudados na escola.



2     JUSTIFICATIVA
O projeto será desenvolvido na Escola Estadual Reinaldo Maurício Golbert Damasceno, localizada no município de Macapá _ AP, no bairro Novo Buritizal, em uma área de periferia e com alunos em situação de risco social. Kleiman (2010) afirma que os projetos que enfocam práticas de letramento contribuem para o desenvolvimento de programas que ajudem estes alunos em situação de vulnerabilidade social a ter acesso ao mundo da leitura e da escrita de maneira mais democrática e vivenciada. O foco deste projeto é a leitura como fonte de prazer, entretenimento, informação e aprendizagem. O público alvo serão as turmas do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, pois é perceptível o número de reduzido de alunos adeptos a leitura, observando esta lacuna na aprendizagem, vislumbra-se canalizar práticas de letramento para o desenvolvimento da leitura e consequentemente, da escrita.

3     FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
Uma das responsabilidades da escola é proporcionar aos seus alunos condições para que estes tenham acesso ao conhecimento. Nesse contexto, de criação e de recriação, próprio da vida escolar, a leitura ocupa um lugar primordial, que está fundamentado nos Parâmetros curriculares Nacionais – PCNs de Língua Portuguesa, no qual define (1998, p. 41):
A leitura é o processo no qual o leitor realiza um trabalho ativo de compreensão e interpretação do texto, a partir de seus objetivos de seu conhecimento sobre o assunto, sobre o autor, de tudo o que sabe sobre a linguagem, etc [...]


A relevância e a necessidade do ato de ler para professores e principalmente para os alunos são incontestáveis, e vislumbra objetivos claros:
Estimular o desejo de outras leituras; possibilitar a vivência de emoções, o exercício da fantasia e da imaginação; permitir a compreensão do funcionamento comunicativo da escrita: escrevesse para ser lido; expandir o conhecimento a respeito da própria leitura; aproximar o leitor dos textos e os tornar familiares — condição para a leitura fluente e para a produção de textos; possibilitar produções orais, escritas e em outras linguagens; informar como escrever e sugerir sobre o que escrever; ensinar a estudar; possibilitar ao leitor compreender a relação que existe entre a fala e a escrita; favorecer a aquisição de velocidade na leitura; favorecer a estabilização de formas ortográficas. (BRASIL, 1998, p.47).

Para que os objetivos citados sejam alcançados, ao se trabalhar leitura na escola, devemos sempre atentar para a realidade do aluno. O educador deverá ser capaz de motivar seus alunos através do exemplo de professor leitor, com questionamentos e/ou atividades que os levem a expressar-se tanto oral quanto através da escrita.
O desenvolvimento do projeto será realizado de maneira interdisciplinar entres os ambientes multimídias: Sala de leitura, Biblioteca, Laboratório de informática em Educação - LIED e TV Escola; trabalhando coletivamente, exigindo “uma mudança de mentalidade que supere o individualismo tão peculiar a nossa cultural ocidental e tão arraigada no currículo estritamente disciplinar, com seu conhecimento fragmentado”. (KLEIMAN, 1999, p. 43)
As atividades propostas na sala de leitura serão organizadas, de modo, que os alunos tenham acesso a diversos gêneros textuais e atividades lúdicas, observando durante as atividades propostas às dificuldades e complexidades apresentadas por cada turma, pois segundo os Referenciais Curriculares da educa­ção básica do Rio Grande do Sul (2009, p. 39):
Ler: (re)agir e posicionar-se critica­mente frente a diferentes textos. Ler envol­ve combinar letras, sons, imagens, gestos, relacionando-os com significados possíveis, lançar mão do conhecimento prévio para participar da construção dos sentidos pos­síveis do texto, agir conforme a expectativa de leitura criada pelo contexto de comuni­cação e ser crítico em relação à ideologia implícita, reconhecendo que qualquer texto atualiza um ponto de vista, pois tem um au­tor. Para atribuir sentidos possíveis ao texto, o leitor precisa, simultaneamente, decodificá-lo, participar dele, usá-lo e analisá-lo. Essas ações ocorrem sempre de forma integrada, e não ordenada, no ato de leitura. Ensinar a ler ou formar leitores significa, portanto, criar oportunidades para a prática de todas essas ações desde as primeiras etapas escolares; [...]
 Freire (1989, p. 13) cita o vínculo entre a palavra e o mundo, e seu movimento cíclico, “do mundo à palavra e da palavra ao mundo”, onde a leitura de mundo precede a da palavra, e a leitura da palavra implica na continuidade da leitura do mundo como forma de “escrevê-lo” ou de “reescrevê-lo”, ou seja, uma forma de ter subsídios para transformá-lo de forma consciente. Aliada à transformação do meio de forma crítica e consciente, o ambiente multimídia da sala de leitura busca o despertar da leitura como fonte de prazer, entretenimento e informação, envolvendo professores e alunos. 
A Biblioteca na atualidade tem uma função que vai muito além dos empréstimos de livros, ela vem se reinventando, caminhando lado a lado as mudanças constastes do mundo globalizado.
Segundo Behr (2008, p.32-42)
A biblioteca escolar se caracteriza como função pedagógica e abrange ampla “clientela” e de diversos níveis de escolaridade, pois seus usuários são desde a educação infantil ao pós-médio, incluem a educação de jovens e adultos, o corpo docente, funcionários e comunidade escolar. O bibliotecário ou profissionais que trabalham na biblioteca tem a função de educador, buscando a oferta de serviços de qualidade, propiciando o aceso e o uso de informações para todos. 


 A biblioteca precisa ser assumida como ambiente de socialização, e não de isolamento; podemos desenvolver inúmeras atividades positivas e prazerosas de leitura nesse espaço para os alunos.
A leitura ocupa na área de educação, um lugar de destaque, pois faz parte da carreira escolar do aluno, e prolonga-se por toda a sua vida. Segundo Antunes (1993) saber ler, gostar de ler, ter hábito da leitura, permite avançar, viver mais, são novos conhecimentos, novas experiências, novos mundos que os livros nos trazem.
O LIED é um espaço destinado a dar suporte técnico tanto aos docentes quanto aos discentes de como usar as ferramentas midiáticas existentes no contexto escolar, fortalecendo desta forma o ensino aprendizagem dos envolvidos.
Portanto, um ensino significativo que abranja todos os educandos as aulas precisam ser mais participativas, interativas, envolventes, os alunos devem se tornar “agentes” da construção de seu próprio conhecimento, o professor por sua vez estará utilizando a tecnologia para dinamizar as aulas e orientar os alunos na construção de seu saber. A utilização do computador como recurso midiático de auxilio na construção do conhecimento, possibilitará infinitas informações, tornando as atividades mais dinâmicas e prazerosas.
Segundo VALENTE (1999, p.39):
O uso do computador na educação, objetiva a integração deste no processo de aprendizagem dos conceitos curriculares em todas as modalidades e níveis de ensino, podendo desempenhar papel de facilitador entre o aluno e a construção do seu conhecimento.
O autor vem fortalecendo a necessidade de se utilizar este espaço multimídia e seus recursos tecnológicos e pedagógicos, na construção do conhecimento tanto do docente quanto do discente em atividades que certamente tornará atrativo a ambos envolvidos.  
Uma consideração fundamental é que o computador torna-se um dos  recursos mediadores de uma aprendizagem dinâmica, ele não estará substituindo o professor, mas auxiliando-o como ferramenta  interativa na construção da aprendizagem. Sendo assim utilizado pelo professor, vem a “enriquecer o ambiente das crianças para que as trocas simbólicas estimulem o funcionamento da representação mental.” (Fagundes, 1994, p.49). Não é diferente do que diz  Vygotsky (1989), sobre o funcionamento psicológico do sujeito e o conceito de mediação, enfocando que na relação do homem com a realidade, existem mediadores, que são ferramentas auxiliares de toda atividade humana. 

Estes recursos didáticos estarão auxiliando os professores nas atividades diversificadas e assim, incentivá-lo da importância de se beneficiar desta ferramenta tecnologia no desenvolvimento do indivíduo.
O papel da TV Escola é aperfeiçoar e valorizar professores da rede pública, enriquecer o processo de ensino-aprendizagem e melhorar a qualidade de ensino. Por este motivo temos que buscar alternativas possíveis e rápidas para que possamos enfrentar este novo desafio das mídias oferecidas nos ambientes de aprendizagens.
Segundo Napolitano (2003) o trabalho na TV Escola deve analisar os conteúdos a serem trabalhados e como enriquecê-los, e assim melhorar a qualidade de ensino dos alunos, valorizando os conhecimentos prévios:
1-A relação do conteúdo geral da TV com a palavra escrita (base do conhecimento escolar tradicional);
2-A relação do conhecimento transmitido pela TV com as disciplinas consagradas pela escola.

Cabe ao professor buscar a multidisciplinaridade, a TV é um forte recurso virtual para desenvolver conteúdos a partir de vídeos completos, sequências ou cenas que tornarão as aulas mais dinâmicas, lúdicas e prazerosas.
Em suma, os ambientes multimídias como competências gerais tratam de reconhecer nas Tecnologias de informação e comunicação - TIC, possibilidades de integrar “diferentes linguagens, códigos e meios de comunicação, bem como o modo como se relacionam com as demais tecnologias”, e tornar a leitura dos alunos e dos familiares envolvidos no projeto, uma prática realizada com prazer, desenvolvendo a imaginação, a escuta, o enriquecimento do vocabulário e conhecimentos voltados para os estudos. (MELLO, 2009, p. 41)

4     OBJETIVOS
4.1  Geral
Proporcionar a interatividade com os ambientes de aprendizagem, sensibilizando da importância da utilização dos recursos multimídias, o interesse dos alunos pela leitura, no âmbito escolar e familiar, visando assim, a formação do caráter do aluno, a melhoria da qualidade do processo ensino-aprendizagem e desenvolvimento sociocultural.

4.2  Específicos
·         Incentivar a leitura como uma prática prazerosa;
·         Acrescentar ao cotidiano escolar a prática da leitura como umas das prioridades no processo ensino-aprendizagem;
·         Propiciar situações para a produção escrita;
·         Apresentar textos informativos que enfoquem temas transversais como: saúde, sexualidade, gravidez na adolescência, meio ambiente, drogas, direitos humanos, entre outros ressaltando a valorização da melhor qualidade de vida;
·         Estimular um maior envolvimento da família;
·         Desenvolver as habilidades, compromissos e cuidado com os materiais coletivo e patrimônio público;
·         Proporcionar à criança e a comunidade educativa a oportunidade de experimentar a biblioteca como lugar mágico de encontro com os livros;
·         Utilizar os recursos tecnológicos para as práticas pedagógicas nos diversos componentes curriculares, incentivando a descoberta tanto de alunos quanto de professores de quando e como usar a informática como ferramenta na construção do conhecimento dos envolvidos.
·         Divulgar os trabalhos escolares no blog da escola: http://escolareinaldodmasceno.blogspot e outras redes sociais;
·         Ampliar a expressão escrita, oral, visual e audiovisual;
·         Disponibilizar conteúdos das matrizes curriculares através de vídeos diversificados, envolvendo dinâmicas criativas com o uso dos recursos multimídias.

5     METODOLOGIA
O projeto será realizado em cooperação entre os ambientes multimídias: Sala de Leitura, Biblioteca, LIED e TV Escola e as atividades serão interligadas e adequadas às especificidades.
A sala de leitura privilegiará atividades vinculadas as práticas sociais e aos gêneros textuais, partindo do conhecimento prévios dos alunos. As atividades genericamente contemplarão:
  • Leituras realizadas pela professora da sala de leitura em voz alta, escuta de audiolivros e/ou vídeos de leitura para que os alunos possam observar e perceber boas práticas da leitura e apropriar-se do gosto pela leitura. Desta maneira os alunos realizarão leituras distintas de maneira silenciosa, oral, individual ou em grupo;
  • Participação dos professores de sala de aula de disciplinas específicas, fazendo uma apresentação oral na Rádio Escola sobre o resumo do livro escolhidos por eles, servindo como chamariz para que os alunos despertem o interesse pelo livro selecionado.
  • Apresentações de textos, slides e vídeos e posteriormente serão trabalhadas: a interpretação e compreensão dos textos individual e em grupo; a produção textual e ampliação do vocabulário;
  • Discussões sobre as temáticas trabalhadas, sejam temas transversais ou os gêneros trabalhados no cronograma como: as fábulas, com a valorização da amizade e do respeito pelo outro; parábolas, trabalho os valores e a ética; folclore e suas variadas vertentes e o romance a “ Mão e a luva”, de Machado de Assis e  “ Extraordinário”,  de R. J. Palacio, etc.;
  •  Entrega da bolsa com gêneros textuais diversos, contendo uma ficha de leitura, que será distribuída e levada para casa para o preenchimento. Terá um tempo estipulado de acordo com o gênero selecionado para a leitura. Será registrado o número de páginas e o tempo em que foi realizada a leitura. Dependendo do nível da cada turma, como desfecho das atividades serão feitas competições nas quais serão avaliados: o tempo utilizado para a leitura, número de páginas, bom estado do livro lido, socialização na sala de leitura sobre o livro lido através de: slides, vídeos, resenhas e/ou debates.
A biblioteca tem o importante papel de aproximar a comunidade estudantil e em geral oportunizá-los a conhecer e frequentar esses locais de acesso aos livros. Por isso, é importante planejar atividades que tornem a biblioteca um lugar conhecido e frequentado, além de maneiras de incentivá-los para o uso do seu espaço.
  • Visitas frequentes à biblioteca familiarizam os alunos com a organização e as formas de acesso aos livros;
  • Empréstimos de livros aos alunos para leitura em casa, desperta para essa alternativa de lazer e prazer e ensina as regras a serem seguidas e obedecidas no uso dos livros da biblioteca;
  • O professor responsável pela biblioteca deverá promover dinâmicas para o recebimento e incorporação de novos acervos que despertem a atenção e o interesse por conhecê-los;
  • A divulgação em cartazes de novos livros que chegam à biblioteca podem atrair a atenção e o interesse dos alunos;
  • Os alunos podem preparar cartazes de propaganda de livros de que tenham gostado, para expô-los na biblioteca;
  • Os alunos podem escrever sua avaliação de livros lidos, compondo um guia de orientação de escolha, disponível na biblioteca, para a consulta de colegas.
  • Projeto Monteiro Lobato: pesquisar o significado da palavra biografia e autobiografia com objetivo de os alunos montarem suas próprias autobiografias. Será utilizado um questionário, onde as respostas dos alunos os guiará para a construção da sua própria autobiografia em formato de texto. Em seguida haverá          exposição dos trabalhos.
  • Projeto Folclore:  para cada ano (série) será feita uma pesquisa utilizando o dicionário. Após a pesquisa, será feita a construção de livros montando histórias com os conceitos pesquisados.
5° ano:  histórico; provérbio; cantigas de roda e brincadeiras;
5° série: ensaio e apresentação do Hino à Bandeira;
6° série: parábolas e a criação do seu próprio conceito, em seguida a socialização com a turma.
7° série: a origem e o significado da palavra cordel, conceituação e leitura.
  • Projeto Bolsa: serão realizados com os 7 º anos e as 8° séries ( 9º ano) , após a entrega das bolsas, haverá o controle e análise da ficha de leitura e premiação da melhor ficha apresentada.
  • Projeto Consciência Negra: sua construção será no 4° bimestre com os 4º e 5° anos, haverá realizações de atividades como: pesquisas, danças, murais, palavras & desenhos, jogos dos erros e ilustrações.
Após a construção das histórias, serão expostas nas salas multimídias.
O importante é que os profissionais que trabalham na biblioteca se reconheçam como mediadores no trabalho de formação de leitores. Sendo a biblioteca um local tradicionalmente de pesquisa e de leitura, transforma-se também em um ambiente de interação, experimentação e incentivo à leitura.
A Informática Educativa refere-se ao uso do computador e suas ferramentas de produtividade, programas educacionais e os diferentes sites educativos. O Laboratório de Informática Educativa (LIED), vem com o objetivo de dar suporte técnico ao utilizar os recursos midiáticos e tecnológicos nas dificuldades tanto dos alunos quanto de alguns professores no momento das execuções dos trabalhos solicitados como: digitação de textos, construção de slides, participação em jogos on-line e pesquisa na internet, projetores de vídeo, equipamentos de áudios e outros; tornando desta forma, as atividades mais dinâmicas, prazerosas, atrativas e interessantes. O acompanhamento e os resultados dos trabalhos serão realizados com eficácia através de: fichas de registros diários, relatórios após as atividades finais, visitas ao blog da escola e outras redes sociais, tudo em consonância com os cronogramas das atividades deste ambiente multimídia descritos nos incisos: I, II, III, IV, V, VI, VII, VII, IX, X, XI, XII, XII, onde vem sendo desenvolvidos pela professora responsável do ambiente. Esperamos desta forma, ampliar os conhecimentos dos envolvidos neste projeto de aprendizagem.
A TV Escola é um programa à distância da Secretaria de Educação / MEC, dirigido à capacitação e aperfeiçoamento de professores do ensino Fundamental e Médio da rede pública, este recurso didático permite que o professor se aproprie de dinâmicas criativas. Com o uso dos recursos multimídias, a professora da TV ESCOLA desenvolverá atividades que complementarão o tema em estudo (jogos, músicas, entrevistas, resenhas, teatros e artes plásticas). As dinâmicas citadas serão desenvolvidas após a exibição e explanação de vídeos (documentários, filmes, reportagens, slide e aulas áudio visual).
  • Explicação das regras dos jogos antes da sua realização;
  • Apresentação e exploração da letra da música e breve histórico sobre a vida do compositor;
  • Envolver as famílias dos alunos através de entrevistas realizadas pelos mesmos, pedindo para que eles façam uma curta filmagem entrevistando um membro da família sobre o tema bordado;
  • Produção e leitura de resenhas após a exibição de filmes ou outro objeto (teatro ou livro);
  • Após a apresentação de vídeos diversificados serão trabalhadas a interpretação e compreensão de forma individual e coletiva, oral e escrita;    
  • Atividades com desenhos, pintura ou recorte colagem para representação do tema em estudo;
  • Oferecer aos professores vídeos abordando os mais diferentes temas da matriz curricular para o enriquecimento de suas aulas. 
O Construtivismo tem o professor como mediador de conhecimentos e o aluno como ser ativo, crítico, livre, que age sobre o objeto, que constrói, reflete, reconstrói e organiza conhecimentos. Sua metodologia é a articulação entre professor e aluno, preocupando-se com a construção e a descoberta dos conteúdos.
Considerando o aluno como esse ser ativo e o professor como guia do processo ensino-aprendizagem, a TV Escola desenvolverá suas atividades com o professor e com o aluno.
As atividades com os professores serão da seguinte forma: convidando-os a visitarem a TV Escola para seleção e escolha entre os DVDs contidos no catálogo; empréstimo da cópia do DVD para que possam assistir previamente; agendamento do vídeo completo, sequências ou cenas para uma data compatível com a sua agenda pedagógica e disponibilidade do ambiente de aprendizagem; fornecimento da ficha de dados para preenchimento.
As atividades com os alunos serão realizadas durante ou após a exibição do filme, realizando paradas nas partes que mais chamam atenção; preenchimento de fichas para exploração e interpretação escrita do filme, além de atividades com gêneros textuais, teatro, música, filmagens e registros fotográficos, que servirão se suporte para a realização do relatório final das atividades. Portanto, a TV escola apresenta metodologias que despertarão a motivação dos alunos e assim encontrem sentido na leitura e na escrita.

6     Instrumentos Pedagógicos
7.1 Tecnológico: computador, impressora, datashow e TV, DVD, vídeo, máquina fotográfica, celular.
7.2 Materiais: lápis, caderno, borracha, giz de cera, tesoura, bolsa, barbante, grampeador, livros, revistas, papel A 4,  E.V.A; cola branca e de isopor; ficha de leitura; quadro branco, pincel, CD e pen drive.


7     AVALIAÇÃO
A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, utilizando todos os instrumentos e recursos possíveis, disponíveis nos ambientes multimídias, a fim de atingir os objetivos específicos desenvolvidos neste projeto, observando o interesse, a participação, a criatividade, o envolvimento e a espontaneidade em todos os ambientes frequentados pelos alunos das turmas e consequentemente seus professores, como vem mostrando o cronograma das atividades. Vale considerar que o mesmo, retrata, passo a passo, todas as turmas e modalidades envolvidas, alcançando assim, 100% desta clientela.



8     CONSIDERAÇÕES FINAIS

O projeto “Uma viagem ao mundo mágico e maravilhoso da leitura com recursos multimídias” através da interatividade entre os ambientes multimídias, busca de forma pedagógica, dinâmica e lúdica apresentar diversos gêneros textuais presentes no cotidiano de nossos alunos e associando a eles, os conteúdos de diversas disciplinas de acordo com a necessidade das problemáticas, dos temas transversais e das solicitações dos professores.
Portanto, espera-se despertar o interesse, participação e afetividade dos educandos pela leitura tanto no âmbito escolar quanto familiar, ampliar a gama de conhecimentos apreendidos e consequentemente promover situações visando a formação do caráter do aluno, a melhoria da qualidade do processo ensino-aprendizagem e desenvolvimento sociocultural.




9     CRONOGRAMA DE ATIVIDADES 

Professoras responsável pela execução do cronograma:
·         BIBLIOTECA: Lúcia Helena Ataíde Soares Lopes
·         LIED: Nanci Castelo da Silva
·         SALA DE LEITURA: Iane Augusta Carvalho da Conceição
·         TV ESCOLA: Carmenéa Viana Rodrigues     
        
9.1. Cronograma I
 Bimestre:
Turmas: 403, 501, 502 503 (4º e 5º anos).
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental I
Período: 14 de março a 25 de maio de 2016.
Tema: Gênero textual fábulas.
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita e o número de reduzido de alunos adeptos a leitura.
Resultado esperado: Reconhecimento das principais características de uma fábula; Leitura de diversas fábulas e compreensão da moral; Protagonismo do aluno.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa, Geografia, Ciências e Arte.
Professores: Francinaldo Corrêa Martins, Dino Ferreira Pastana, Iran da Silva, Roberto Cesar Santos de Souza.
Ação: Estudo de fábulas.
Objetivos: Conceituar fábula; Identificar as principais características de uma fábula; Compreender a moral de cada fábula; Recriar a fábula e a moral dos textos: “A corrida de sapinhos, Rato da cidade e rato do campo, A rã e o touro, O macaco e o gato, A coruja e a águia, O leão e o ratinho e A cigarra e a formiga”; Dramatizar o texto produzido.
Metodologia:
Sala de leitura: Abordagem sobre os conhecimentos prévios sobre o tema fábula; Discussão sobre o título e ilustração; Organização coerente do texto, fragmentado em forma de quebra-cabeça das fábulas: “A corrida de sapinho (4º ano) e O rato da cidade e o rato do campo (5º ano).” Leitura de distintas versões da fábula e observação e discussão sobre semelhanças e diferenças entre os textos; Interpretação e compreensão do texto; Produção escrita.
Biblioteca: Pesquisa no dicionário das palavras biografia e autobiografia; Estudo da Biografia do autor Monteiro Lobato e produção da autobiografia do aluno e exposição dos trabalhos realizados. “Assembleia dos ratos e A Onça doente”.
LIED: Exibição de slides sobre as fábulas: “O macaco e o gato” (4º ano), “A coruja e a águia” (5º ano); Recorte e colagem; Discussão sobre o slide; Ilustração e reescrita; revisão de fábulas; dramatização e apresentação da fábula reescrita.
TV Escola: Exibição dos vídeos: “O leão e o ratinho” (5º ano) e “A cigarra e a formiga” (4º ano)”; Interpretação e discussão sobre o Vídeo; Recorte e colagem; Construção dos personagens em varetas e apresentação.
Recursos: Livro, TV, vídeo, celular, datashow, giz de cera, E.V.A, papelão, brinquedos, fantoches, roupas.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na criação e produção próprios do conceito de fábulas, construção, ilustração e reescrita das fábulas: “A corrida de sapinhos, Rato da cidade e rato do campo, A rã e o touro, O macaco e o gato, A coruja e a águia, O leão e o ratinho e A cigarra e a formiga”.


9.2. Cronograma II
 Bimestre:  3º e 4º
Turmas: 403 (4º ano)
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental I
Período: 17 de agosto de 2016 a 13 de janeiro de 2017.
Tema: TIM Ciência
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura, escrita e realização das sete operações intelectuais que estão envolvidas na criação ou construção de todo e qualquer conhecimento humano.
Resultado esperado: Conhecimento e exercício das formas de pensar, sete operações intelectuais, que norteiam e ajudam a explicar e compreender o mundo em que vivemos.
Componentes Curriculares: Todas.
Professores: Francinaldo Corrêa.
Ação: Estudo dos livros e realização das atividades correspondentes as  sete operações  intelectuais.
Objetivos: Realizar e exercitar cada uma das operações intelectuais que fazemos: definir, questionar, observar, classificar, verificar, aplicar e generalizar para aprender formas de organizar e aprimorar o que pensam e sabem para compreender o que fazem e dizem os cientistas.
Metodologia:
Sala de leitura: Caderno Questionar (Texto: Até o Rei!; O que é questionar?; Ideias-chave do texto; Percurso de atividades em sala de aula) e Caderno Observar ( Texto: A História de Zé, Doroteia e as árvores; O que é observar? Ideias-chave do texto; Percursos de atividades em sala de aula).
Biblioteca: Caderno Definir (Texto: Ana, as palavras e seu avô; O que é definir?; Ideias-chave do texto; Percurso de atividades em sala de aula) e Caderno Aplicar ( Texto: O reino de Vishlostosk ; O que é aplicar? Ideias-chave do texto; Percursos de atividades em sala de aula).

LIED: Caderno Verificar (Texto: O estranho caso do rocambole de cinco voltas; O que é verificar?; Ideias-chave do texto; Percurso de atividades em sala de aula) e Caderno Classificar  ( Texto: A garça e o rinoceronte; O que é classificar? Ideias-chave do texto; Percursos de atividades em sala de aula).
TV Escola: Caderno Generalizar (Texto: A história de gema; O que é generalizar?; Ideias-chave do texto; Percurso de atividades em sala de aula)
Recursos: Livro, TV, vídeo, datashow, Caderno do professor – orientação e cadernos dos alunos, CD-ROW e lápis.
Avaliação: A avaliação de caráter formativo, em forma de rubrica, que tem como base uma concepção de avaliação exclusivamente pedagógica, a qual demanda que os alunos façam autoavaliação constante de suas conquistas durante o desenvolvimento do projeto.



9.3. Cronograma III
 Bimestre:
Turmas: 403, 501, 502, 503, 601, 602 e 603 (5º e 6º anos).
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental I e II
Período: 26 de maio a 16 de agosto de 2016.
Tema: Gênero poema.
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita e o número de reduzido de alunos adeptos a leitura.
Resultado esperado: Diferenciação entre poema e poesia; Reconhecimento das principais características de um poema; Leitura de diversos poemas; escrita de poemas; Protagonismo do aluno.

Componentes Curriculares: Língua Portuguesa.
Professores: Francinaldo Corrêa, Dino Ferreira Pastana, Iran da Silva, Roberto Cesar Santos de Souza e José Amanajás.
Ação: Estudo do gênero poema.
Objetivo: Buscar a democratização dos usos da língua portuguesa, perseguindo reduzir o “iletrismo” e o fracasso escolar, auxiliando direta e indiretamente na prática pedagógica do professor de sala de aula, melhorando o ensino da leitura e da escrita, em um projeto coletivo.
Metodologia:
Sala de leitura: Abordagem sobre os conhecimentos prévios sobre o tema poema; Discussão sobre o título, ilustrações e formas; Leitura de distintos poemas, em especial os poemas concretos e populares; Observação e discussão sobre semelhanças e diferenças entre os textos; Aliteração; Metáfora e Produção escrita.

Biblioteca: Mural de poemas; Poemas: rimas, verso e estrofes.
LIED: Clássicos consagrados da literatura; identificar rimas em poemas e criar rimas, poemas versus música.
TV Escola: Identificar rimas; repetição de versos e criar quadras e escrever acrósticos.
Recursos: Livro, TV, vídeo, datashow, Caderno do professor – orientação para produção de textos, coletânea de poemas, CD-ROM, dicionário, caderno e lápis.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na criação e produção próprios poemas.



9.4. Cronograma IV
Bimestre:
Turmas: 821 e 822 (9º ano).
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 26 de maio a 16 agosto de 2016.
Tema: Gênero Crônica.
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita e o número de reduzido de alunos adeptos a leitura.
Resultado esperado: Diferenciação entre notícia e crônica; Reconhecimento das principais características de uma crônica; Leitura de diversas crônicas; escrita de crônicas sobre o lugar onde moram com humor e sensibilidade.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa.
Professores: Eryane Parize.
Ação: Estudo do gênero crônica.
Objetivos: Buscar a democratização dos usos da língua portuguesa, perseguindo reduzir o “iletrismo” e o fracasso escolar, auxiliando direta e indiretamente na prática pedagógica do professor de sala de aula, melhorando o ensino da leitura e da escrita, em um projeto coletivo.
Metodologia:
Sala de leitura: Estudo dos elementos constitutivos de uma crônica e os recursos literários utilizados pelo autor; Emprego as figuras de linguagem; Pesquisa sobre expressões próprias do futebol e conversa sobre as diferentes formas de se tratar o tema “amor”, tendo como cenário a cidade; Leitura de uma crônica de Armando Nogueira e outra de Paulo Mendes Campos.

Biblioteca:    Informação sobre a Olimpíada de Língua Portuguesa e a orientação de como participar; Contato com o gênero crônica; Leitura de uma crônica de Fernando Sabino.


LIED: Aproximação dos alunos do gênero crônica; Conhecimento e identificação da diversidade de estilo e de linguagem entre autores de épocas diferentes; Distinção entre os tons de lirismo, ironia, humor ou reflexão em diferentes crônicas; Leitura de crônicas escritas nos séculos XIX, XX e XXI.

TV Escola: Informação sobre a vida e obra de Machado de Assis; Análise da crônica após a escuta do áudio e a realização da leitura; Reconhecimento de personagens, cenário, tempo, tom e recursos literários.

Recursos: Livro, TV, vídeo, datashow, Caderno do professor – orientação para produção de textos, coletânea de poemas, CD-ROM, dicionário, revista, jornal, caderno e lápis.
Avaliação: A avaliação será formativaativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na criação e produção de suas próprias crônicas.




9.5.  Cronograma V
Turmas: 403 (4º ano) e 501, 502 e 503 (5º ano).
Bimestre:
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental I
Período: 17 de agosto de 2016 a 26 de outubro de 2016.
Tema: Folclore: cantigas de roda, brincadeiras, trava-línguas, marabaixo (dança), provérbios, frases de para-choque de caminhão, lendas regionais e adivinhações.
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita, o número reduzido de alunos adeptos a leitura e a desvalorização da cultura regional.
Resultado esperado: Reconhecimento das principais influências de um povo e resgate das nossas tradições.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa, Geografia, História, Ciências e Arte.
Professores: Francinaldo Corrêa Martins, Dino Ferreira Pastana, Iran da Silva, Roberto Cesar Santos de Souza.
Ação: Estudo do folclore regional.
Objetivo: Conceituar folclore; Identificar as atividades que fazem parte do folclore regional; Reconhecer as principais influências de um povo e resgatar as nossas tradições.
Metodologia:
Sala de leitura: Apresentação do conceito e apresentações de diversas adivinhações, competição de adivinhas entre os alunos, reescrita e/ou escrita de adivinhações; histórico, vestimentas de “ladrões” do marabaixo, desenho e colagem com tecidos estampados em alto relevo; e execução de diversas brincadeiras folclóricas.
Biblioteca: Pesquisa no dicionário da palavra folclore e histórico; provérbios; cantigas de roda e brincadeiras.
LIED: Pesquisa de frases de para-choque e trava-línguas; Registro das atividades no blog e nas redes sociais dos trabalhos realizados em todos os ambientes; Exposição das atividades em slides.
TV Escola: Brincadeiras; Lendas; Registro fotográfico; Exibição do vídeo; Discussão sobre o Vídeo; Confecção de materiais para o cenário; Recorte e colagem; Dramatização.
Recursos: Livro, TV, vídeo, celular, computador, datashow, giz de cera, E.V.A, papelão, brinquedos, fantoches, roupas.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos, apresentação da música “Aonde tu vais rapaz”, e reescrita e/ou escrita de adivinhas; recorte e colagem das brincadeiras e cantigas de ninar mais conhecidas pelos alunos; exploração das frases de para-choque, atentando para os erros da escrita; Ilustração das lendas sul, pesquisa das lendas amapaenses e dramatização teatral.
                   
9.6.  Cronograma VI
Turmas: 403, 501, 502, 503 (4º e 5º anos)
Bimestre:
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental I
Período: 17 de agosto a 26 de outubro de 2016.
Tema: Semana da Pátria
Problemática: Resgatar o Civismo.
Resultado esperado: Reconhecimento, amor e respeito pelo País, aprender os Hinos: Nacional, Bandeira, Amapá e Município.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa, Geografia e História.
Professores: Francinaldo Corrêa Martins, Dino Ferreira Pastana, Iran da Silva, Roberto Cesar Santos de Souza.
Ação: Estudo dos hinos: Nacional, da Bandeira, do Amapá e do Município.
Objetivo: Apreender os significados de algumas palavras presentes nos hinos, aprender a cantar de letra dos hinos e portar-se de maneira adequada e respeitosa durante as execuções.
Metodologia:
Sala de leitura: Apresentação da letra, música e autores do Hino Nacional, estudo das palavras desconhecidas, postura diante da execução e ensaio da letra.
Biblioteca: Pesquisa no dicionário realizada pelos alunos das palavras desconhecidas no Hino à Bandeira; postura diante da execução e ensaio da letra.
LIED: Apresentação da letra, música e autor da “Canção do Amapá”, estudo das palavras desconhecidas, postura diante da execução e ensaio da letra;
TV Escola: Apresentação da letra, música e autor do hino do “Município de Macapá”, estudo das palavras desconhecidas, postura diante da execução e ensaio da letra;
Recursos: Livro, TV, vídeo, computador, datashow, bandeirinhas, cola, palitos.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na apresentação dos Hinos: Nacional, Bandeira, Amapá e Município.



9.7.  Cronograma VII
Turmas: 6º ano.                        
Bimestre:
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 17 de agosto a 26 de outubro de 2016.
Tema: Água
Problemática: Desperdício da água e falta de saneamento básico.
Resultado esperado: Compreender a importância da água na manutenção da vida.
Componentes Curriculares: Ciências.
Professor: Maria Gercilene Matos Pereira.
Ação: Observação e registro de situações de desperdício da água para a produção de uma cartilha de sensibilização sobre a importância e uso consciente da água e do saneamento básico.
Objetivo: Compreender a importância da água na composição dos diferentes seres vivos; identificar na escola e no bairro situações de desperdício; identificar as condições para o saneamento básico baseando-se na campanha da fraternidade.

Metodologia:
Sala de leitura: Apresentação do vídeo da canção Planeta água, Discussão sobre o desperdício e uso consciente da água e produção da cartilha digital sobre o desperdício da água na escola e em casa.

Biblioteca: Caracterização da água Potável; Medidas de tratamento caseiro da água e procedimentos para a construção segura de fossas secas e sépticas e produção da cartilha sobre o desperdício da água na escola e em casa.

LIED: Ciclo da água e cartilha digital sobre saneamento básico; Construção de maquete.

TV Escola: As condições do saneamento básico e elaboração de cartilha digital através de registros fotográficos.
Recursos: Livro, vídeo, celular, computador, CD- ROW, máquina fotográfica e Datashow, pincéis, folders explicativos.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na produção das cartilhas e na possível mudança de comportamento.



9.8.  Cronograma VIII
Turmas: 7º ano.                        
Bimestre: 1º e 2º
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 14 de março de 2016 a 16 de agosto de 2016.
Tema: Gênero textual romance “Extraordinário”
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita, o número de reduzido de alunos adeptos a leitura, preconceito e Bullying.
Resultado esperado: Leitura e compreensão do texto; Debate sobre situações de preconceito e desrespeito ao indivíduo com a expectativa de possível mudança de comportamento e aceitação do outro; Protagonismo do aluno.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa.
Professora: José Amanajás.
Ação: Leitura do Livro “Extraordinário”, debate, dramatização, construção e exposição de preceitos.
Objetivo: Ampliar o vocabulário; Estimular a leitura de romances; Identificar as principais características do romance; Compreender os principais temas abordados nos livros; Realizar um debate sobre as situações de conflito presentes no texto, construir preceitos e selecionar trechos do livro com os alunos para dramatização.

Metodologia:
Sala de leitura: Distribuição das bolsas com livro; controle e registro do tempo e bom estado do livro; apresentação e construção de argumentos orais e escritos para a defesa de uma posição, debate ( participação da família na discussão de questões polêmicas, colaboração na construção dos argumentos). .
Biblioteca: Controle da ficha de leitura e premiação da melhor ficha apresentada.
LIED: Apresentação de vídeo referente à resenha do livro; Filme; Apresentação de novos preceitos.
TV Escola: Dramatização sobre um dos episódios vividos pelo personagem principal.
Recursos: Livro, fichas de leitura, Vídeo, Datashow.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos no debate; leitura e correção das fichas interpretativas; Entendimento e criação dos preceitos em questão; Registro dos momentos de ensaio e preparação da dramatização.



9.9.  Cronograma IX
Turmas: 721 e 722 (8º ano)
Bimestre:
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 17 de agosto a 26 de outubro de 2016.
Tema: Gênero textual Parábolas.
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita; o número de reduzido de alunos adeptos a leitura e ausência de valores. 
Resultado esperado: Reconhecimento das principais características de uma parábola; Leitura e compreensão dos ensinamentos das parábolas trabalhadas; Protagonismo do aluno; Aceitação de si e do outro como seres únicos e diferentes e identificação de seus valores pessoais.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa e Oficina de trabalho.
Professores: Eryane Parize e Eriany Ribeiro Braga.
Ação: Estudo de parábolas.
Objetivo: Conceituar parábolas, identificar as principais características de uma parábola; Compreender o ensinamento de cada parábola; Teatralizar e Resgatar valores.
Metodologia:
Sala de leitura: Conceituação de parábola, leitura e discussão da parábola “A ratoeira”; Escrita do final do texto; apresentação e discussão sobre o vídeo “A ratoeira”.
Biblioteca: Pesquisa no dicionário do significado da palavra parábola e a criação do seu próprio conceito.
LIED: Registro das atividades no blog e nas redes sociais; pesquisas na internet; Exibição de slides sobre “Como anda a sua fé” ; Discussão sobre os slides.
TV Escola: Exibição do vídeo sobre a  parábola “ Os lençóis sujos”; Discussão sobre o Vídeo.
Recursos: Livro, Vídeo, Datashow.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na escrita do final da parábola “Os lençóis sujos” e apresentação dos pontos de vistas dos alunos sobre as parábolas apresentadas; criação do seu próprio conceito sobre parábola; técnica do entendimento (produção escrita com o uso de gravuras).



9.10.  Cronograma X
Turmas: 721 e 722 (8º ano).                                
Bimestre:
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 17 de agosto a 26 de outubro de 2016.
Tema: Gênero textual Cordel.
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita e o número de reduzido de alunos adeptos a leitura.
Resultado esperado: Reconhecimento das principais características do Cordel; Leitura e compreensão dos cordéis trabalhados; Protagonismo do aluno; criação de ilustração.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa e Arte.
Professores: Eryane Parize e Sabrina Miranda de Queiroz.
Ação: Estudo da literatura de Cordel e ilustração.
Objetivo: Conceituar a literatura de cordel, reconhecer a origem da palavra cordel; identificar as principais características da literatura de cordel; produzir textos deste gênero; criar ilustrações para os cordéis.
Metodologia:
Sala de leitura: Leitura do cordel realizada pela professora e pelos alunos, discussão sobre a temática do cordel trabalhado e produção escrita.
Biblioteca: Pesquisa da origem e significado da palavra cordel, conceituação e leitura e registro das atividades.
LIED: Pesquisa on-line; Exibição de vídeo; Apresentação das fotos da entrevista com o cordelista Joaquim Furtado; Registro das atividades no blog e nas redes sociais.
TV Escola: Exibição do vídeo; Discussão sobre o Vídeo; Entrevista com o cordelista.
Recursos: Computador, livro, vídeo, datashow, barbante, lápis de cor, giz de cera, papel A4.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na exposição dos cordéis produzidos; conceituação do seu próprio entendimento sobre cordel; discursão sobre o vídeo da entrevista com o cordelista; questionamento oral e escrito sobre a reportagem da literatura de cordel realizada pelo Globo Rural.



9.11.  Cronograma XI
Turmas: 821 e 822 (9º ano).                        
Bimestre: 3º e 4º
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 17 de agosto de 2016 a 13 de janeiro de 2017.
Tema: Gênero textual romance literário
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita, o número de reduzido de alunos adeptos a leitura e ausência de envolvimento da família.
Resultado esperado: Reconhecimento das principais características de romance literário; Leitura e compreensão do texto; Produção de resenha Crítica; Protagonismo do aluno.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa.
Professor: Eryane Parize.
Ação: Leitura do Livro “A Mão e a Luva”.
Objetivo: Ampliar o vocabulário; Estimular a leitura de romances; Identificar as principais características do romance; compreender os principais temas abordados nos livros; aproximar a família da escola; produzir resenhas dos livros.


Metodologia:
Sala de leitura: Distribuição das bolsas com livro; controle e registro do tempo e bom estado do livro; apresentação dos passos para a escrita da resenha didática e produção textual (resumo e resenha).
Biblioteca: Controle da ficha de leitura e premiação da melhor ficha apresentada.
LIED: Apresentação do vídeo produzido pelos alunos em 2015; Produção e apresentação de vídeos no celular e/ou qualquer outro recurso; registros nas redes sociais e blog da escola.
TV Escola: Apresentação do gênero resumo e resenha; Premiação da melhor dramatização apresentada.
Recursos: Livro, fichas de leitura, celular, vídeo, Datashow.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos e apreciação das resenhas escritas; leitura e correção das fichas interpretativas; produção e apresentação do resumo em vídeo; registro dos ensaios e apresentação da peça teatral.



9.12.  Cronograma XII
Turmas: 403, 501,502 e 503 ( 4 º e 5º anos).                            
Bimestre:
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica - Fundamental II
Período: 27 de outubro de 2016 a 13 de janeiro de 2017.
Tema: Consciência Negra
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita; o número reduzido de alunos adeptos a leitura; desconhecimento das influências da cultura africana, europeia e indígena na cultura brasileira.
Resultado esperado: Conhecer as influências da cultura africana, europeia e indígena, sua evolução histórica e a consolidação da diversidade cultural contemporânea.
Componentes Curriculares: Língua Portuguesa, Geografia, Arte e História.
Professores: Francinaldo Corrêa Martins, Dino Ferreira Pastana, Iran da Silva, Roberto Cesar Santos de Souza.
Ação: Valorização das etnias e suas culturas.
Objetivo: Enriquecer o vocabulário; Estimular a leitura; Identificar as diferenças e semelhanças entre as danças africanas; compreender os principais temas abordados e perceber a grande influência e contribuição das etnias.
Metodologia:
Sala de leitura: Pesquisa e estudo das palavras de origem indígena que compõe a Língua Portuguesa; Confecção de Mural ilustrado com as palavras utilizadas em nossa região.
Biblioteca: Construção de um livreto com receitas, artesanato e vestuários indígena; Palavras & Desenhos; Jogo dos 7 erros; ilustração.
LIED: Cruzadinha; Enigma; pesquisas na internet sobre a origem, o histórico e as características dança africana Kuduro.
TV Escola: Apresentação de vídeos; caça-palavras, pesquisas na internet sobre a origem, o histórico e as características dança africana Kuduro.
Recursos: livros, dicionários, vídeo, CD-ROW; Datashow; indumentárias, lápis, caneta.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação e envolvimento dos alunos na pesquisa e elaboração do mural, na apresentação das danças africanas; na produção de livretos onde os mesmos conhecerão a culinária, artesanatos e vestuário dos povos indígenas através desenhos e ilustrações.





9.13. Cronograma XIII – Atividade Complementar
Turmas: 403, 501, 502, 503, 601,602,603,701,702,721,722,821 e 822                     
Bimestre: 1º, 2º, 3º e 4º
Modalidade/ Nível de Ensino: Educação Básica – Fundamental I e II
Período: 14 de março de 2016 a 13 de janeiro de 2017
Tema: Professor leitor
Problemática: Alunos com dificuldades em leitura e escrita, o número de reduzido de alunos adeptos a leitura.
Resultado esperado: Maior estímulo à leitura através da observação da prática de leitura de seus próprios professores.
Componentes Curriculares: Todos
Professores: Todos os professores do 2º turno.
Ação: Leitura de diversos livros sobre distintas temáticas.
Objetivo: Ampliar o vocabulário; Estimular a leitura de diversos gêneros textuais; Identificar as principais características dos gêneros; Compreender os principais temas abordados nos livros.
Metodologia:
Sala de leitura: Controle das datas das exposições, registro dos livros e turmas selecionadas pelos professores; Organização da apresentação na Rádio Escola; Orientações aos alunos ouvintes e Registro dos alunos interessados no livro após o programa de rádio.
Biblioteca: Seleção e empréstimos de livros para professores leitores e alunos ouvintes; Elaboração da ficha do professor leitor; Registro fotográfico e áudio visual.
LIED: Organização da apresentação na Rádio Escola; Orientações aos alunos ouvintes, registro fotográfico e áudio visual.
TV Escola: Organização da apresentação na Rádio Escola; Entrevista na rádio escola com o professor leitor.
Recursos: Livros, fichas, celulares, caixas de som e microfone.
Avaliação: A avaliação será formativa, durante o desenvolvimento do projeto, observando o interesse, a participação, envolvimento dos alunos e os empréstimos de livros apresentados pelos professores.



10  . REFERÊNCIA
ALVES, Moisés Pereira. A Informática como ferramenta auxiliar na construção do conhecimento dentro e fora da escola. Disponível em: < http://www.pedagogia.pro.br/informaticanaescola.htm>.  Acesso em: 25 de maio de 2015.

ALTENFELDER, Anna Helena. Poetas da escola. São Paulo: CENPEC: Fundação Itaú Social; Brasília, DF: MEC, 2008.

ANTUNES, W. A. Bibliotecas escolares: Curso de capacitação do professor regente de biblioteca. Brasília: CORBI, 1993.
BEHR, A. MORO. E. L. S.ESTABEL L. B. Gestão de biblioteca escolar: metodologias, enfoques e aplicações de ferramentas da gestão e serviços de biblioteca, Brasília. 2008.
BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998.
FAGUNDES, Lea da Cruz. Informática e Educação in Idéias, nº 4. Governo do estado de São Paulo: São Paulo, 1994.
FREIRE, PauloA importância do ato de ler: em três artigos que se completam. São Paulo: Autores Associados: Cortez, 1989.
KLEIMAN, Ângela. Os significados do letramento. Campinas: Mercados das Letras, 1995.
_____, Ângela B., MORAES, Silvia E. Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola. Campinas, SP: Mercado das Letras, 1999.
LAGINESTRA, Maria Aparecida. PEREIRA, Maria Imaculada. A ocasião faz o escritor. São Paulo: CENPEC: Fundação Itaú Social; Brasília, DF: MEC, 2014.

LOBATO, Monteiro. Fábulas.  São Paulo: Globo Livros, 2010.
MELLO. Guiomar Namo. Referenciais Curriculares da Educação Básica para o século 21. In : Referencial Curricular: Lições do Rio Grande. Linguagens códigos e suas tecnologias. Volume I. 2009. Disponível em: <http://www.educacao.rs.gov.br/dados/refer_curric_vol1.pdf >.  Acesso em 24 de março de 2015.
PALACIO, R. J. Extraordinário. Trad. Rachel Agavino. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2013.

PNBE na escola: literatura fora de casa. Ministério da Educação. Elaborada pelo Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita da Universidade Federal de Minas Gerais. Brasília- Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica, 2014.
PLANO DE AULA. Revista nova escola. Disponível em:<http://www.gentequeeduca.org.br/planos-de-aula/circulos-de-leitura>. Acesso em 25 de março de 2015.
ROCHA, Ruth. Fábulas de Esopo. São Paulo. Salamandra, 2010.
VALENTE, J. A. O computador na sociedade do conhecimento. Campinas: Unicamp/NIED, 1999.
VYGOTSKY, L. S. A Formação Social da Mente. Martins Fontes: São Paulo, 1989.
TV ESCOLA. Disponível em: <http://tvescola.mec.gov.br/tve/sobre>. Acesso em: 25 de maio de 2015.
A OVELHA PERDIDA.  Disponível em: http://www.esbocandoideias.com/2013/02/explicando-as-parabolas-de-jesus-a-ovelha-perdida.html. Acesso em : 30 de maio de 2015.
PARA A ESCRITORA TATIANA BELINKY, O LIVRO É UM OBJETO MÁGICO. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/lingua-portuguesa/pratica-pedagogica/entrevista-tatiana-belinky-livro-objeto-magico-580131.shtml. Acesso em 07/06/2015.




11  ANEXOS
Horários de Atendimentos nos Ambientes Multimídia
2º Turno


TURMA

HORÁRIO

SALA DE LEITURA

TV  ESCOLA

LIED

BIBLIOTECA
SEGUNDA

501
403
502
503
TERÇA
502
503

501
403
QUARTA
503
502

403
501

QUINTA


403
501

503
502
SEXTA








Observação:
ü  Horários vagos dos ambientes estarão disponíveis para agendamentos;
ü  Os sábados letivos dos ambientes serão com planejamento seguindo o calendário 2016 em forma de rodízio;
ü  A TV Escola estará temporariamente funcionando no LIED;
ü  A Biblioteca encontra-se disponível para agendamento para professores com Datashow.







GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
ESCOLA ESTADUAL REINALDO MAURICIO GOLBERT DAMASCENO
AMBIENTE MULTIMÍDIA – BIBLIOTECA
FICHA DE LEITURA DO LIVRO ‘O EXTRAORDINÁRIO’
Nome:______________________________________________________________Turma:_____________  DATA: ____/____/2016
Teste seus conhecimentos.
1)    August é apresentado à escola por três crianças. Quais?
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

2)  Em que escola August foi estudar?


3)    Por que o livro tem o nome de Extraordinário?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
     
4)    Qual o nome da irmã de August?
                                                                                                  

5)    Qual o apelido de August?
 

6)    Quais eram as fantasias que August disse que iria a festa do halloween, respectivamente?

7)    Do que Miranda chamava August?



8)     Quem estava no grupo do Jack, que Charlotte fez?




9)    Os colegas de classe do August tinham medo tocá-lo por medo de pegar a "peste negra da feiura". Este fato foi relacionado com algo de outro livro:
_____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________                                                                                                         

10) -Qual foi o Preceito que August escreveu para o Sr. Browne?
*Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.
*Não se esforce muito para ser legal. Sempre dá para notar, e isso não é legal.
 Se você consegue passar pelo ensino fundamental sem ferir os sentimentos de ninguém, isso é muito maneiro.
 Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo.
 Palavras gentis não custam muito, e ainda assim conquistam muito.

11)  Que lição você tirou do livro?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
12)  Você recomendaria esse livro para alguém? Por quê?
____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________


BOA LEITURA!






GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
ESCOLA ESTADUAL REINALDO M. G. DAMASCENO.
PROJETO DAS SALAS MULTIMÍDIAS
FICHA DE LEITURA
Nome:__________________________________________Turma:_________
Nome do livro:__________________________________________________
Nome do autor:_________________________________________________
Nome do ilustrador:______________________________________________
Quem são os personagens? _______________________________________
O que eles fazem na história? ______________________________________
_______________________________________________________________

Como são os personagens principais da história? _______________________________________________________________

_______________________________________________________________

 

Qual é o personagem mais interessante da história?  Por quê? _______________________________________________________________


Onde se passa a maior parte da história? ________________________________________________________________
Como é esse lugar? _________________________________________________________________
Quando os fatos acontecem? _________________________________________________________________
Desenhe três cenas importantes da história. Faça quadrinhos com legenda.











Esse livro fala sobre:


Macapá-AP, ______________de_________________________de________.






GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
ESCOLA ESTADUAL REINALDO M. G. DAMASCENO.
PROJETO DAS SALAS MULTIMIDIAS EM PARCEIRIA COM A RÁDIO ESCOLA/RD
FICHA DE LEITURA DO PROFESSOR LEITOR
PROFESSOR LEITOR:_____________________________________________________________
TURMA:_____________                                                                   DATA:_____/_______/20_____
TÍTULO DO LIVRO:______________________________________________________________
AUTOR:_________________________________________________________________________
O QUE VOCÊ ACHOU DA LEITURA? __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
O QUE O ALUNO PODERÁ APRENDER COM A LEITURA DO LIVRO?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
QUE LIÇÃO VOCÊ TIROU DO LIVRO? __________________________________________________________________________________________________________________________________________________________
VOCÊ INDICARIA ESSE LIVRO? POR QUÊ?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________









Cronograma do Professor leitor

PROFESSOR
TURMA
DATA
HORÁRIO
LIVRO
AUTOR
Gercilene
601
11/05/2016

A tatuagem ( Recanto do povo Luo)
Rogério Andrade
Gercilene
601
11/05/2016
Teiniaguá – A princesa Moura Encantada
Caio Riter
Sabrina
721
17/05/2016


4 de julho
James Patterson e Maxine Paetro
Iran
501
24/05/2016



O menino maluquinho
Ziraldo
Roberto
503
24/05/2016



Uma menina chamada Julieta
Ziraldo
Francinaldo
403
25/05/2016



Menina bonita do laço de fita.
Ana Maria machado
Jackson
822
30/05/2016

Dom Casmurro
Machado de Assis
Regiane
701
01/06/2016
Annie
Thomas Meehan
Anderson
821
17/06/2016
Uma professora muito maluquinha
Ziraldo
Jucileia
602
2 º semestre


A vaca Voadora
Edy Lima
Raidê
603
2 º semestre

Carvoeirinhos
Roger Mello
José
702
2 º semestre



Eriany
722
2 º semestre



Dino
502
2 º semestre










GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ
ESCOLA ESTADUAL REINALDO M. G. DAMASCENO.
PROJETO DAS SALAS MULTIMÍDIAS
FICHA DE VÍDEO

Resumo:




Palavras-chave:
Nível de ensino:
Modalidade:
Componente curricular:
Disciplinas relacionadas:
Aspectos relevantes do vídeo:


Duração da atividade com o vídeo:
O que o aluno poderá aprender com esta aula:


Conhecimentos prévios que devem ser trabalhados pelo professor com o aluno:

Conceitos que estão embutidos no tema do vídeo:

Estratégias e recursos da aula/descrição das atividades:

Questões para discussão



Professor_______________________________________ Turma:__________


Macapá-AP, ______________de_________________________de________.






FICHA DE ATIVIDADE DIÁRIA
AMBIENTE MULTIMÍDIA: ___________________                                  
NÌVEL DE ENSINO: 4º ao 9º ANOS                                                                                                                               Bimestre: __________

Professor (a)

Horário
Dia

   Turma


Atividades desenvolvidas

Assinatura














































GOVERNO DO ESTADO DO AMAPÁ       
SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO
ESCOLA ESTADUAL REINALDO MAURICIO GOLBERT DAMASCENO
FICHA DE AGENDAMENTO NO AMBIENTE: _______________________

DIA

HORÁRIO

TURMA

PROFESSOR (A)

    ATIVIDADE DESENVOLVIDA

RESPONSÁVEL

ASSINATURA













































































































Editado: Profª. Nanci Castelo/ Profª Iane Carvalho.

Postagens mais visitadas deste blog

PROJETO Leitura e Saber na Eja